23 de maio de 2012

Falta de escrever

Desde que deixei o jornalismo que uma das coisas que sinto mais falta é de escrever. De, literalmente, passar mais de 12 horas agarrada ao computador a escrever, rever textos, procurar informações, cruzar dados. Isso e fazer entrevistas. Adorava fazer entrevistas e aprendi tanto com os meus entrevistados.

Para combater as saudades da escrita criei este blogue, mas depois desleixei-me. Fui deixando passar um dia e mais outro e outro mais. As palavras não saiam. Muitas vezes abri este backoffice e voltei a fechar com o pensamento "amanhã escrevo". O tempo foi passando e o blogue ficou para segundo, terceiro, quarto plano...

O seminário de ontem reavivou a minha vontade de escrever. Não quero fazer jornalismo no blogue e muito menos quero transformar isto numa obrigação. Visitas, poucas ou nenhumas tenho e também não é esse o meu primeiro objectivo.

Li, há tempos, no blogue A Pipoca Mais Doce um post em que a autora comentava os muitos e-mails que recebe onde lhe perguntam qual é o segredo para ter um blogue de sucesso, com imensas visitas, como o dela. A resposta foi muito bem dada e devo dizer que concordo plenamente: muito trabalho. Se o blogue A Pipoca Mais Doce está hoje entre os mais lidos do país deve-se ao facto de ser actualizado com grande frequência, muitas vezes mais do que um post por dia, e aos 8 anos de existência. O que começou por ser um blogue pessoal de partilha dos fait-divers do dia-a-dia evoluiu, tornou-se uma marca e um conceito. Parece-me, e a Ana Garcia Martins (se passar por aqui) que me corrija se estiver errada, que houve um crescimento pessoal e profissional da autora que está transposto no blogue e para ela é tão natural partilhar curiosidades, pensamentos e frustrações naquele espaço como beber um copo de água e fazer um tour pelas lojas preferidas.

Isto tudo para dizer que tenho noção que as visitas de um blogue só se conquistam com trabalho e dedicação. Repito, para já não é esse o objectivo. Fico-me mais pelo fazer o gosto ao dedo ao escrever sobre coisas que, em primeiro lugar, me interessam a mim. O resto vem com o tempo, seja o bom ou o mau do que a internet tem para nos oferecer. (Agora que estou a reler o que escrevi, parece que este discurso está um bocadinho para o egoísta, não?)

1 comentário:

Rita disse...

Egoísta porquê?

Eu gostei, e gostei de saber que reavivaste essa vontade de escrever =)

Força nela, que eu gosto muito de cá vir!